5 dicas para escolher um gerenciador de gastos para PMEs

5dicasGerenciadorGastosMPESPara uma microempresa, conhecer os gastos em detalhes pode ser algo tão importante quanto uma nova fonte de receita. Afinal, ter desde cedo uma cultura gerencial faz com que a organização evite desperdícios e, ao longo do crescimento da receita, otimize seus resultados. Por isso, utilizar um gerenciador de gastos é fundamental para a sobrevivência dos pequenos negócios, pois além de mostrar de forma clara o fluxo de caixa é possível utilizar inúmeros outros recursos importantes no dia a dia dos negócios – da mobilidade para o pagamento de contas até a decisão sobre investimentos.

A maior dificuldade que muitas microempresas encontram para efetivamente colocar as contas em dia está na rotina de manter uma planilha atualizada com todos os gastos e receitas. Por isso, escolher a ferramenta ideal é o primeiro passo para que este objetivo de organizar as contas dê resultado. Um programa que apenas liste entradas e saídas e não forneça outros dados e serviços não é o mais indicado para quem precisa criar a cultura da organização.

A boa notícia é que, com a popularização de aplicativos, hoje é fácil encontrar várias opções de gerenciador de gastos com diversas aplicações que só uma planilha não oferece. Por isso, selecionamos neste post cinco dicas para escolher um bom gerenciador de gastos para micro e pequenas empresas.

1) Mobilidade

Escolha um gerenciador de gastos que possa ser acessado em diversos aparelhos (smartphones, tablets, notebooks e desktops), para que, em qualquer ocasião que você precise, possa atualizar os dados e ter as informações de forma rápida com o device que está à mão.

2) Gerenciar sem papel e sem custos

Como você costuma guardar os comprovantes de pagamento, em casa ou no escritório? E se precisar daquele comprovante de dois anos atrás, sabe onde encontrar? Todas essas questões se resolvem com um gerenciamento de contas sem o uso de papel não é mesmo? Ao escolher seu gerenciador de gastos, veja se ele permite a organização de todos esses comprovantes, de forma a fazer você ganhar tempo e segurança na gestão dos pagamentos. Outra dica importante é buscar um gerenciador sem custos, para que a nova cultura gerencial de sua empresa não comece já desfalcando as receitas.

3) Gerenciar é organizar os gastos

Nas micro e pequenas empresas, o empreendedor costuma cobrar o escanteio e ainda correr para cabeçear. Nessa correria atrás dos negócios e do cumprimento dos prazos, quantos compromissos financeiros não ficam pelo caminho, gerando transtornos e custos extras, como juros? Ao gerenciar os gastos, já indique as principais datas para pagamentos, dos funcionários aos fornecedores, para que nenhum imprevisto tire seu sono – nem o dinheiro desnecessário do bolso.

4) Comparação de investimentos

Um bom gerenciador financeiro deve, além de mostrar as entradas e saídas do seu negócio, comparar as opções na hora de fazer um investimento: CDI, poupança, fundo de investimentos, papeis da Bolsa etc. O mesmo serve para a necessidade de capitalização: qual será a melhor forma de obter recursos sem comprometer a receita com prazos muito longos ou juros acima do mercado?

5) Possibilidade de pagar as contas pelo celular

Em alguns casos, é possível utilizar aplicativos que permitem o recebimento e o pagamento digital de boletos, de forma mais simples e até mais segura do que o Internet Banking – e também sem depender de fatores externos como greve de bancos e problemas com os Correios.

Empreendedorismo, Micro e pequeno Negócios, Soluções Financeiras, Tecnologia e inovação , , , 0 Comments

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of
avatar

wpDiscuz