Benefícios da digitalização de processos no setor da construção

Cada vez mais, a construção civil brasileira tem debatido sobre formas de digitalizar processos. Esta tem sido visto como uma maneira de melhorar os ainda baixos níveis de produtividades do setor no País. Afinal, de acordo com estudo da EY, a construção brasileira é uma das menos produtivas de todo o mundo.

O estudo mostra, ainda, que o investimento em produtividade é urgente para combater fatores estruturais que comprometem o desempenho do setor. Dentre eles, os custos crescentes e o impacto na rentabilidade, a carência de mão de obra especializada e o aumento da complexidade dos negócios.

Da mesma maneira, a EY indicou sete alavancas de produtividade para a construção civil. Vamos falar brevemente sobre cada uma delas mais adiante. Também iremos falar sobre os ganhos de produtividade observados pela McKinsey decorrentes de investimento em digitalização. Por fim, iremos pontuar algumas possibilidades de digitalização nas quais sua empresa de construção pode investir.

Alavancas de produtividade para a construção civil

De acordo com a EY, a organização das sete alavancas tem como intuito permitir às empresas e aos profissionais visualizar e avaliar os esforços necessários para obter ganhos expressivos de produtividade. 

Todas as frentes estão associadas a investimento direto ou indireto em tecnologia. Seja para automação de processos ou ganho de acuracidade na previsão e planejamento. Vamos conferir.

Planejamento da execução de empreendimentos

Nesse aspecto, os ganhos de produtividade seriam decorrentes de um planejamento mais afinado da necessidade de recursos e de materiais. Sempre envolvendo diferentes horizontes de planejamento, de curto, médio e longo prazo.

Para tanto, o estudo da EY recomenda a adoção de processos estruturados de atualização do planejamento no decorrer da execução. Isso é mais facilmente alcançado a partir de um escritório integrado de gestão de projetos, como no modelo PMO (Project Management Office). Além de aplicação de softwares que permitam a adoção do BIM (Building Information Modeling).

Como podemos ver, são ações que estão intrinsecamente ligadas à digitalização de processos da construção.

Adoção de métodos de gestão

A Lean Construction é um dos principais elementos envolvidos no ganho de produtividade relacionado à gestão. Essa metodologia prevê a otimização na sincronização do empreendimento, com melhoria no fluxo de materiais. A ideia é eliminar ao máximo as atividades que não agregam valor ao produto final, como, por exemplo, deslocamentos.

A digitalização, nesse caso, é fundamental para a otimização dos fornecedores e das compras, conhecida como Strategic Sourcing.

Equipamentos

Esta frente está intimamente relacionada à industrialização e mecanização da construção. Assim, prevê um uso mais intenso de equipamentos. Consequentemente, tem como premissa a modernização do maquinário de obra.

Materiais

O estudo da EY afirma que há ganhos de produtividade decorrentes da adoção de novos e mais eficientes materiais. Como exemplo, são citados o concreto autocurativo, o cimento magnesiano, dentre outros.

Métodos construtivos

É, sem dúvidas, uma das principais frentes para ganho de produtividade na construção. A adoção de métodos construtivos mais eficientes prescinde de digitalização de processos. Afinal, é por meio de estudos de viabilidade e simulações de desempenho e execução que seus benefícios podem ser comprovados.

Melhorias de projeto

Mais uma vez, a digitalização de processos na construção se mostra essencial para o ganho de produtividade. Por meio de ferramentas digitais colaborativas é que se torna possível, por exemplo, desenvolver projetos em BIM.

Qualificação da mão de obra

Quanto mais o setor da construção se desenvolve, mais evidente fica a dependência de mão de obra. Pior ainda. De mão de obra com pouca qualificação. Cada vez menos haverá espaço para profissional despreparados no setor. A digitalização de processos permite qualificar profissionais à distância.

Digitalização de processos na construção

Além da EY, o Sebrae desenvolveu um estudo de inteligência setorial que mapeia os ganhos potenciais da digitalização de processos no setor da construção. De acordo com o material, ao investir em tecnologia é possível aumentar a produtividade e a qualidade das obras. Isso, completa o Sebrae, prepara as empresas para ganhar mercado na retomada do crescimento da economia.

É exatamente a mesma percepção da McKinsey, que realizou uma série de entrevistas com diversos executivos para tratar da produtividade na construção. De acordo com eles, a digitalização de processos na construção tem potencial para gerar um ponto de inflexão na indústria.

“Enquanto a produtividade da manufatura cresceu significativamente devido à adoção de novas tecnologias, o mercado da construção andou de lado. Uma das razões é a falta de adoção massiva de novas tecnologias”, acredita Roland Busch, CTO e membro do conselho da McKinsey.

Digitalização de processos além do canteiro de obras

A digitalização de processos na construção civil não precisa começar, necessariamente, pelo canteiro de obras. Há inúmeras possibilidades de estimular a transformação digital em empresas de construção que não passam pelo canteiro.

Assim, além do canteiro, a digitalização pode se dar no projeto, no relacionamento com clientes ou na gestão. Dentre os recursos com potencial para contribuir com a digitalização de processos na construção está a computação em nuvem.

De acordo com Luiz Henrique Ceotto, Managing Partner da Tecnoenge, a chamada cloud computing facilita a portabilidade de dados, o projeto e a gestão simultânea. “Essa tecnologia facilita a atividade de gestão de obras uma vez que permite o acesso de projetos em qualquer local para comparação entre o projetado, suas instruções diversas e o executado”, pontua.

De maneira semelhante, a análise de big data permite às empresas compreender tendências de custos. Afinal, uma das possibilidades de digitalização é nos processos de financeiros de pagamentos e cobranças.

Na área financeira, a digitalização traz vantagens como a eliminação do custo com impressão de boletos. Além disso, há ganhos de agilidade, economia e segurança nas transações. Tudo isso se traduz em ganhos financeiros a partir da digitalização de processos em empresas de construção.

Outro benefício da digitalização de processos financeiros em empresas de construção é a centralização de dados de recebíveis. Outro ganho é a facilitação do acesso a relatórios.

Assim, a empresa acessa mais rápido dados financeiros que permitem avaliar a necessidade, por exemplo, antecipar recebíveis.

Mesmo o relacionamento com os clientes pode melhorar devido à digitalização de processos. Imagine, por exemplo, os impactos positivos de uma consulta rápida aos dados financeiros do cliente durante um atendimento.

Conclusão

Não há dúvidas de que a construção civil apresenta um campo gigantesco e muito fértil para a digitalização de processos dos mais variados. Isso porque, mais do que nunca, o setor precisa recuperar o atraso no que diz respeito à produtividade. Enquanto outros setores se desenvolveram, a construção não conseguiu mudar de patamar.

Logo, é preciso aproveitar o enorme potencial de desenvolvimento que a construção tem. Afinal, certamente nenhum outro setor tem tanto potencial para impactar toda a sociedade. Assim, investir em digitalização de processos no setor da construção é a melhor maneira de ajudar a sociedade a se desenvolver.

Foi assim que outros setores, como o de manufatura, obtiveram resultados bastante positivos no que diz respeito à produtividade.

E, como pudemos ver, não é preciso promover uma verdadeira revolução no canteiro de obras para digitalizar sua empresa. Este processo pode começar pelas áreas administrativas da construtora, como a financeira. Dessa forma, a digitalização de processos vai aos poucos tomando conta de toda a organização.

Sem categoria 0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *