Como o beacon pode mudar o varejo

Você já ouviu falar em beacon? Trata-se de um pequeno dispositivo que torna a Internet das Coisas possível em nosso dia a dia. O aparelho funciona com bluetooth de baixa energia (Bluetooth Low Energy ou Bluetooth 4.0) e, quando instalado em algum ponto da estrutura física de um local, emite um sinal codificado para um receptor próximo (celular, tablet, computador etc.). A mensagem pode ser enviada em formato de texto, link, foto, vídeo ou até mesmo uma ação de check-in nas redes sociais. A inovação é notável pela simplicidade de estrutura e de programação, acessibilidade e pela possibilidade de uso em diversos segmentos de mercado, na indústria e até mesmo no setor público.

No varejo, esta tecnologia tem utilidade em lojas, restaurantes, supermercados e shoppings e permite tornar a experiência de compra mais personalizada ao aumentar a interação do cliente com o espaço. Pense, por exemplo, em um consumidor andando por uma loja de departamentos e que, a cada corredor, recebe informações sobre os produtos que estão ao seu redor. É possível notificá-lo com promoções, cupons de desconto e com conteúdo informativo sobre o funcionamento dos itens.

Para o lojista, o potencial da inovação está na geração de informações que podem contribuir com o desenvolvimento de estratégias de marketing mais assertivas, uma vez que interação do usuário com o dispositivo produz dados úteis para a tomada de decisões, como análises de comportamento e consumo. Ao descobrir onde seu cliente passa mais tempo ou os caminhos que percorre durante a permanência no local, o varejista pode obter insights relevantes para promover desde mudanças no estabelecimento até ações promocionais de maior efetividade.

beacon-o-que-e

 

Utilidade do beacon em outros segmentos

Ambiente corporativo: melhora o networking em conferências e otimiza o compartilhamento de informações em reuniões. E, quando falamos de gestão administrativa, tem utilidade desde controle de inventário até acompanhamento de pessoas, já que permite colocar o dispositivo em equipamentos e crachás e analisar quantidades e movimentação em processos industriais, por exemplo.

Entretenimento e turismo: é possível compartilhar informações com visitantes em espaços públicos, como parques e monumentos, contando a história daquele local, por exemplo, e aprimorando a experiência do turista. É útil em cinemas, museus, galerias, exposições etc. Outra aplicação nessa categoria é auxiliar a localização de assentos: em alguns estádios esportivos no exterior, o beacon indica a cadeira correspondente ao ingresso do visitante.  

Aeroportos, estações de trem e rodoviárias: mudanças no embarque, atrasos, cancelamentos e qualquer outra instrução podem ser notificados em tempo real. Dentro do conceito de cidades inteligentes, por exemplo, caberia colocar um beacon em um ponto de ônibus e compartilhar informações sobre as linhas que passam ali e horários.  

Setor imobiliário: imagine estar procurando imóveis em uma região e, quando você passa próximo a uma casa disponível para aluguel ou venda, recebe informações no seu celular. Isso também é possível com o uso dessa tecnologia.

Previsões recentes do Grand View Research apontam que, até 2025, o mercado formado ao redor do uso desta tecnologia chegará a movimentar US$58,7 bilhões. As possibilidades são inúmeras: basta usar a criatividade!

Leia mais:

Como a ‘internet das coisas’ vai mudar seu cotidiano em breve

Uma nova era está chegando ao setor financeiro: a do pagamento das coisas

Tecnologia e inovação , , , , 0 Comments

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of
avatar

wpDiscuz