Descubra as tendências tecnológicas do setor supermercadista

A pandemia do novo coronavírus trouxe muitos impactos à economia do país. Com a adoção de medidas de distanciamento social para a contenção do contágio, grande maior parte do mercado tem sido duramente afetada com o fechamento de lojas, comércio e demais tipos de estabelecimento.

Mulher passeia por prateleiras do supermercado fazendo compras

Entretanto, na contramão desse processo, o setor supermercadista vem apresentando bons resultados. Isso porque as vendas de itens de primeira necessidade aumentaram, o tíquete médio subiu e os supermercados estão faturando mais com a pandemia.

Para se ter uma ideia, os dados da Abras (Associação Brasileira de Supermercados) mostram que houve um crescimento de 5,63% nas vendas reais de janeiro a maio, comparado com o mesmo período no ano passado. Além disso, devido ao aumento da demanda desde março com o isolamento social, só em maio houve uma expansão de 11,93% em relação ao mesmo mês do ano anterior.

Contudo, os números positivos não são um indicativo de que nada mudou nesse segmento com a pandemia. Pelo contrário, essa nova realidade também trouxe desafios para o setor supermercadista.

Isso porque o comportamento do consumidor mudou muito com a pandemia. Segundo a Abras, “os carrinhos estão mais cheios, mas os supermercados mais vazios”. Isso significa que os consumidores vão menos ao supermercado e compram mais por vez para estocar. Além disso, muitas pessoas têm preferido fazer a compra em mercados online ou em redes que oferecem o sistema de compra pela internet e entrega por delivery.

Tudo isso fez o setor supermercadista abrir os olhos para uma nova demanda: a necessidade urgente de contar com a tecnologia. Seja as grandes redes varejistas, seja os pequenos mercados de bairro, todos precisaram se adaptar para atender as necessidades do consumidor.

Diante desse cenário, o setor vem buscando cada vez mais soluções digitais, como: softwares de gestão, ferramentas de relacionamento com o cliente e aplicativos para compra online, entre tantos outros recursos.

Pensando nisso, elaboramos este e-book para explicar:

  • A importância de o setor supermercadista investir em tecnologia;
  • As principais tendências tecnológicas para esse segmento;
  • As vantagens de adotar a tecnologia em supermercados.

Quer saber mais? Então continue acompanhando e boa leitura!

Capítulo 1: Por que o setor supermercadista deve investir em tecnologia?

A adoção de ferramentas tecnológicas pelas empresas – independentemente do porte e do segmento – já era uma necessidade antes mesmo da pandemia. Esse é um processo que faz parte da chamada Transformação Digital. Logo, um negócio que não se insere nessa corrida por inovação perde competitividade e fica atrás de seus concorrentes.

Com a crise sanitária, a importância de acompanhar as mudanças e as inovações no mercado só ficou ainda mais evidente. O contexto mostrou como foi necessário o setor supermercadista se adaptar – tanto para continuar forte durante a pandemia e não perder vendas quanto para facilitar a vida dos consumidores e proporcionar boas experiências de compra.

Nesse cenário, dar atenção à experiência do cliente é um ponto fundamental. Ela deve ser diferenciada, única, personalizada – isso acontece porque o perfil do consumidor vem se alterando há alguns anos.

Se, por exemplo, antigamente a demanda era sobretudo por produtos mais baratos mesmo que não oferecessem uma qualidade satisfatória, hoje as pessoas procuram mercadorias melhores, mais duráveis e de marcas diferentes, que proporcionem novas experiências de consumo.

Ou seja, se antes o preço era um dos principais determinantes na decisão de compra, hoje o consumidor espera muito mais. Além do produto propriamente dito, interessa a ele ter uma experiência incrível de compra.

Além disso, hoje o consumidor quer mais praticidade e comodidade. Nesse contexto, a tecnologia é muito importante para facilitar a vida das pessoas, simplificar processos e agilizar compras.

Vale ressaltar também que, com a pandemia, o comportamento online das pessoas se expandiu para o setor supermercadista. Antes do coronavírus, outras áreas, como eletrônicos e vestuários, já faziam parte de uma maneira significativa dos hábitos de consumo online de muitas pessoas.

Portanto, esse cenário se mostrou como um gatilho e um alerta para que os mercados vissem a importância de contar com canais online e ferramentas tecnológicas, inserindo-se de vez na Transformação Digital.

Outra destaque é que grande parte das ações e estratégias adotadas para o momento atual tenderá a continuar no período pós-pandemia ou, como dizem, na era do “novo normal”. O que se vê é que as empresas – e, portanto, os supermercados – devem estar profundamente alinhados com os desejos, as expectativas e as necessidades dos clientes. 

Nesse sentido, a importância de investir em tecnologias – como um mercado virtual, canais de atendimento online, softwares de gestão, entre outras ferramentas – se torna cada vez mais evidente.

Capítulo 2: Principais tendências tecnológicas para o setor supermercadista

Pensando nesse processo de inserção na Transformação Digital, existe uma ampla gama de ferramentas tecnológicas que podem ser implementadas pelo setor supermercadista.

A seguir, listamos as principais tendências, que podem ser adotadas conforme a realidade do seu negócio. Confira!

2.1. Precificação dinâmica

Uma tendência tecnológica extremamente útil para o setor supermercadista é o recurso de precificação dinâmica.

Por meio de etiquetas eletrônicas nos pontos de venda, que se conectam com o sistema de gestão do mercado, é possível fazer alterações de preço de forma instantânea, de acordo com fatores como:

  • Demanda pelo produto;
  • Estoque da loja;
  • Concorrência local.

2.2. QR Codes de rastreamento

Outra grande tendência tecnológica no setor supermercadista, é uso da tecnologia blockchain com a finalidade de rastrear alimentos. O Carrefour é um exemplo de quem já adotou esse recurso.

Por meio de um QR Code, os clientes da rede poderão ter acesso a informações sobre a procedência, a produção e a distribuição dos alimentos, obtendo dados como:

  • Número do lote;
  • Modo de criação dos animais.
  • Local da fazenda de origem;
  • Nome do criador;
  • Transporte dos alimentos.

Dessa forma, é possível garantir mais transparência aos consumidores em relação à rastreabilidade dos produtos. Para o supermercado, existe a vantagem ainda de ter maior controle sobre os casos de recall.

2.3. Inteligência Artificial

Quando o assunto é proporcionar uma melhor experiência de compra, a Inteligência Artificial é uma das maiores aliadas. isso porque uma das formas de facilitar as compras, economizar tempo e entregar mais valor ao cliente é usar os assistentes virtuais (ou chatbots) – outra realidade já adotada também pelo Carrefour.

Por meio da IA, esses robôs de atendimento podem tirar dúvidas de clientes e até oferecer sugestões de produtos, por meio de canais de texto ou voz. Além disso, é uma ótima ferramenta para melhorar o relacionamento da rede com seu público, pois tudo é feito de um jeito rápido e com prestatividade.

2.4. Internet das Coisas

A IoT é uma tecnologia capaz de fazer uma comunicação inteligente entre dispositivos eletrônicos por meio de uma rede de internet sem fio. Uma de suas grandes aplicações é na supply chain, em etapas como armazenagem, gestão de estoque ou transporte.

No setor supermercadista, a tecnologia tem o grande poder de reduzir perdas e desperdícios com recursos como:

  • Controle de temperatura e umidade por meio de sensores para preservar alimentos;
  • Monitoramento das condições de armazenamento das mercadorias por meio da transmissão de dados em tempo real;
  • Controle do vencimento de produtos estocados.

2.5. Realidade aumentada

Mais uma ferramenta que é uma forte tendência é a realidade aumentada, tecnologia que a Starbucks at Home, por exemplo, levou para os supermercados. Combinando o mundo real com o virtual, ela transforma as compras do cliente em um processo interativo, agregando valor à experiência que ele tem no mercado.

Com um smartphone ou um tablet, basta que o consumidor aponte a câmera do dispositivo para o produto e, então, receberá uma série de informações detalhadas.

A realidade aumentada no setor supermercadista pode ser aplicada, por exemplo, em embalagens escaneáveis e rótulos de mercadorias, criando interação entre a marca e o cliente, além de dar mais visibilidade ao produto nos pontos de venda.

2.6. Beacons

Conforme tradução para o português, beacon significa farol, e podemos dizer que a tecnologia atua mesmo dessa forma. Trata-se de um pequeno dispositivo que funciona com bluetooth que, instalado na estrutura física de um local, emite sinais para um receptor, que pode ser um celular ou um tablet, por exemplo.

O beacon funciona como um GPS. Por meio de um aplicativo do supermercado que os clientes podem baixar em seus celulares, a tecnologia pode localizar em qual gôndola o usuário se encontra, além de colher seu histórico de compra.

Com esses dados, o beacon interage com os consumidores, enviando ofertas personalizadas e promoções exclusivas, o que fortalece o relacionamento da sua rede com o público.

2.7. Self-checkout

Mais uma tendência que vem para agregar valor à experiência do consumidor é o self-checkout. Por meio de máquinas de autoatendimento, o cliente pode realizar todo o processo de compras sozinho – do registro das mercadorias e da pesagem até o pagamento. Tudo de um jeito simples e prático.

A ideia está tão em crescimento que os self-checkouts já estão em 400 supermercados brasileiros. Além de reduzir custos operacionais do seu negócio, você reduz o tempo de espera do cliente e até possíveis desistências por causa de filas, aumentando, consequentemente, o nível de satisfação do público.

2.8. Compras via aplicativo

O uso de aplicativos torna o processo de compras online muito mais simples e intuitivo. Na pandemia, os apps de supermercado salvaram as pessoas em quarentena, conquistando até mesmo aqueles ainda resistentes a fazer compras de mercado de forma digital.

Por meio do celular ou do computador, o cliente tem mais praticidade, não perde tempo escolhendo produtos e recebe tudo em sua casa. Além disso, sobretudo os pequenos mercados têm a vantagem de conseguir atingir um público maior, sem precisar expandir o negócio por meio de filiais físicas.

2.9. M-commerce

Seguindo ainda a lógica das compras por dispositivos móveis, o m-commerce é mais uma tendência tecnológica para o setor supermercadista. O termo vem de mobile commerce e é considerado uma evolução do e-commerce.

Com um layout de site exclusivamente voltado para a versão móvel, ferramenta de rolagem, botões maiores, menos textos, entre outros recursos, a ideia é facilitar e melhorar a experiência de compra do usuário.

Dentro do conceito m-commerce também estão os aplicativos de desconto, scanners de leitura de código de barras para realizar pagamento e demais soluções que trazem facilidade para a vida do consumidor.

Capítulo 3: Quais são as vantagens de adotar tecnologia em supermercados?

Como você viu, já existem no mercado diversas soluções tecnológicas que são tendência no setor supermercadista. E as vantagens são muitas – tanto para o consumidor quanto para o mercado.

Afinal, uma vez que você oferece uma melhor experiência de compra ao usuário, você contorna as objeções, conquista mais clientes e aumenta a fidelização.  Veja, a seguir, alguns benefícios!

Atendimento eficiente

Quem nunca passou por situações como filas enormes, problemas na hora do pagamento ou dificuldade de reconhecimento do código de barras de um produto?

Tudo isso são obstáculos que impedem uma experiência agradável de compra e, dessa forma, reduzem o nível de satisfação do consumidor. Com a tecnologia, você resolve esses problemas, prestando um atendimento rápido e eficiente.

Redução de erros

Uma das grandes vantagens da tecnologia é a redução de erros humanos – desde erros de digitação, operações inadequadas no caixa de atendimento, falhas em processos de pagamento a fornecedores ou no controle de estoque.

Otimização dos processos

A tecnologia ajuda a padronizar processos, otimizar tarefas e reduzir esforços operacionais. Você também elimina métodos manuais, automatizando várias operações, como as de controle de estoque, conferência de nota fiscal, gerenciamento de pedidos diários, entre outras.

Tudo isso garante maior produtividade para a gestão e mais tempo para se dedicar a ações estratégicas.

Aumento das vendas

A tecnologia permite melhorias na loja física e o aumento do número de vendas por meio online. Logo, ao adotar ferramentas como aplicativos ou m-commerce, por exemplo, você conquista clientes de outros lugares, que talvez, por limitação territorial, não iriam ao seu supermercado.

Além disso, a facilidade de comprar pela internet e a segmentação de ofertas fidelizam os clientes e agregam valor à experiência de compra.

Mão de obra estratégica

Uma das grandes polêmicas em aumentar o uso de tecnologias nas empresas relaciona-se com a mão de obra. A tecnologia vai substituir o capital humano? Os funcionários correm o risco de perder o emprego para robôs?

Na verdade, o que ocorre é que, enquanto a tecnologia elimina certas tarefas humanas, ela cria novas funções. Assim, os trabalhos são repensados para que os funcionários se tornem mais estratégicos.

Segurança das informações

O armazenamento e o uso de dados dos clientes se tornam mais estratégicos e seguros com a tecnologia. 

Estratégicos, porque você pode analisá-los com inteligência por meio de números consistentes. E seguros, porque a tecnologia ajuda na proteção contra invasão aos sistemas da empresa e vazamento de dados.

Centralização de dados

Com um software de gestão, você pode centralizar todas as informações em um só lugar, o que facilita o acesso aos dados e o controle sobre eles.

Isso é ótimo, por exemplo, para uma gestão de compras mais eficiente, pois permite uma melhor negociação com fornecedores assim como uma melhor estratégia de preços para o consumidor final.

Conclusão

Como vimos, a Transformação Digital é um caminho sem volta. Portanto, adotar tecnologias não é mais uma escolha das empresas, mas uma necessidade, independentemente do porte ou segmento.

O que pode variar é o tipo de tecnologia implementada, considerando um conjunto de soluções que mais trazem resultados para o seu supermercado. Isso significa que, para que o retorno sobre o investimento seja positivo, é preciso escolher os meios certos no momento certo.

Pensando nisso, uma das ferramentas tecnológicas que se mostram como mais necessárias para toda empresa é uma solução de gestão. Afinal, essa é a base de um negócio – e precisa ser sólida e consistente para garantir um crescimento sustentável.

No setor supermercadista, a gestão financeira e a gestão de fornecedores são alguns dos pontos elementares para o bom funcionamento das operações, visto que a interdependência com esses parceiros comerciais é grande. Nesse contexto, a solução ideal para o seu supermercado é o Hubly, uma solução de gestão financeira integral do Grupo Nexxera. Ele atua como um ecossistema financeiro e mercantil, conectando todos os envolvidos em uma cadeia de valor como bancos, adquirentes, fornecedores e clientes. Conheça!

Sem categoria 0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *