Ecossistema de fintechs segue aquecido no Brasil

A edição mais recente do Radar FintechLab demonstrou em números o que pode ser concluído de forma intuitiva ao se observar as movimentações que vêm acontecendo no setor financeiro: o ecossistema de fintechs está em pleno desenvolvimento. O estudo mostrou que houve um aumento de 36% no número de fintechs ativas no Brasil entre fevereiro e novembro de 2017 e mapeou 322 empresas atuantes, 78 a mais em relação ao último levantamento. O que isso quer dizer? Que o setor está aquecido, que ainda existe muito espaço para inovar e que se você tem uma iniciativa nesta área, o momento para investir em seu crescimento é agora!

FINTECHS

A pesquisa destacou ainda a presença de projetos de integração e cooperação entre os players deste ecossistema: gigantes como bancos e operadoras de cartões atuando em conjunto com startups e fintechs. É neste contexto de colaboração que acontecem as transformações pelas quais o setor vem passando e que estão mudando as relações entre as pessoas, os bancos e demais empresas do meio mediante inovações em produtos e serviços.

Um dos exemplos de como esta integração se dá na prática são as aceleradoras e incubadoras, instituições que visam oferecer às ingressantes no mercado oportunidades de crescimento por meio de programas de mentoria, consultoria, colaboração etc. Em alguns casos, estas organizações contam com apoio de grandes empresas que disponibilizam seus recursos e sua expertise para contribuir com o desenvolvimento das startups. É o caso do Link Lab, em Florianópolis, que conta com o patrocínio de grandes empresas como Grupo Nexxera, Ambev e Marisol e que oferece a iniciativas selecionadas a oportunidades de desenvolvimento em um ecossistema de inovação e networking.

 

Modelo em expansão

A atuação dessas empresas é relevante tanto para as instituições consolidadas, que buscam inovar ao oferecer serviços e facilidades aos seus clientes de forma diferente da convencional, como para os pequenos que precisam de um “empurrãozinho” para estruturar sua atuação no mercado.

Prova de que o modelo é promissor é que, em janeiro de 2018, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou o lançamento de consulta pública para selecionar fintechs que têm interesse em prestar serviços às pequenas e às microempresas. O BNDES afirma que a ideia desta ação é investigar soluções tecnológicas inovadoras em quatro tipos de serviços: educação financeira, análise de crédito, matching de soluções financeiras e leilões reversos de crédito para financiamento. O objetivo é ampliar o acesso dos empreendedores menores aos empréstimos e auxiliar na profissionalização da gestão financeira.

 

A hora de investir é agora

O cenário como um todo é promissor para quem tem boas ideias, oferece soluções inovadoras e busca uma oportunidade de se mostrar. Se este é o seu caso, inscreva sua startup no processo de seleção das novas empresas a serem mentoradas pelas empresas participantes do Link Lab. As inscrições estão abertas e podem ser feitas pelo site http://linklab.acate.com.br/.

A5-020-17-COVERPAGE-852x315px-A

Leia mais:

As fintechs vieram para ficar

Bancos e Fintechs se atualizam para transformar o sistema financeiro do país

Meios Eletrônicos de Pagamento, Tecnologia e inovação 0 Comments

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of
avatar

wpDiscuz