Indústria 4.0: os impactos no setor financeiro do Brasil

Quem trabalha nas grandes corporações deve ter ouvido falar em diversos termos vinculados à inovação tecnológica. Pelo menos escutou uma vez sobre internet das coisas, big data, realidade virtual, inteligência artificial, blockchain e até os bitcoins. Esses conceitos já fazem parte dos negócios em diversos setores da economia. Isso mostra que a sociedade já vive a era da Indústria 4.0, que também já traz grandes impactos no setor financeiro.

Essa era já é uma realidade e veio para ficar. Grandes corporações em todos os continentes têm acelerado as suas posições nessa tecnologia. Consequentemente, já se prevê um crescimento significativo dos níveis de digitalização na produção industrial.

As tecnologias que têm promovido uma verdadeira revolução já chegaram a Brasil. As empresas nacionais têm aplicado os métodos e as soluções nas suas cadeias verticais – os chamados processos operacionais – e horizontais, que são os respectivos parceiros.

Dessa forma, as companhias aumentaram seus portfólios de produtos com funcionalidades digitais. Além disso, introduziram serviços inovadores em dados.

Em meio a esse contexto, o setor de serviços financeiros tenta lidar com toda essa evolução, ao enfrentar profundas transformações tecnológicas. Com isso, as instituições se deparam para conduzir mudanças estratégicas em seus modelos de operação.

Close up of young business people analyzing data using computer while working in the office

O que é indústria 4.0

A indústria 4.0 nada mais é que o conjunto de novas tecnologias capazes de unir os mundos físico, digital e biológico. Para muitos, trata-se da 4ª Revolução Industrial, cujo termo tem sido usado com bastante ênfase no universo corporativo.

A denominação surgiu na Alemanha, em 2011, como um estudo de implementação de um modelo de fábrica inteligente. Atualmente, isso vai muito mais além das indústrias. 

Inicialmente ligada aos processos de manufatura, muito se fala também de dados nessa 4ª Revolução Industrial. As informações são consideradas essenciais para tomadas de decisão orçamentária, fora uma crescente transparência, engajamento do consumidor e novos padrões de consumo que obrigam as empresas a adaptarem à forma como projetam, vendem e entregam seus produtos e serviços. Essa nova era é composta por esses avanços tecnológicos emergentes, que trouxeram novas ferramentas para as companhias.

Características da indústria 4.0

A indústria 4.0 ou a 4ª Revolução Industrial costuma geralmente se pautar por várias características. No entanto, três delas são consideradas bastante essenciais, que são a velocidade, o alcance e os sistemas. Ao analisar a rapidez com que as transformações acontecem e como as indústrias e empresas são mudadas, é possível entender essas características.

Na 4ª Revolução Industrial, os modelos de negócio se desenvolvem rapidamente e com um crescimento exponencial. Cada vez mais, erros devem ser corrigidos praticamente em tempo real para não perder dinheiro.

Em relação ao alcance, nenhuma empresa e cliente conseguirão manter-se intocados pela indústria 4.0. Isso significa que as organizações precisam estar atentas às informações, obtidas com apenas alguns cliques. 

Impactos no setor financeiro

Diante das transformações tecnológicas, as instituições financeiras têm se esbarrado na necessidade de promover alterações nas suas estratégias em relação aos modelos de negócios operacionais. Dentro dessa lógica, o segmento se atentam em alguns tópicos para aproveitar o momento e colocar essas transformações de fato em prática.

Para isso, o setor deve ficar antenado com alguns pilares de transformação já registrados no ramo financeiro, sobretudo nos seus serviços. Um deles tem relação com as tecnologias exponenciais.

A inteligência artificial e a computação em nuvem já promovem uma modificação significativa em muitos aspectos do sistema bancário. Essa área continua a navegarem direção a aplicações práticas, como o blockchain, dentro da segurança da informação.

Criação do ecossistema financeiro

Com o crescimento da convergência dos serviços financeiros disponíveis, as relações entre bancos fintechs e big techs têm se evoluído nos últimos dois anos. Com isso, é certa a formação de um ecossistema financeiro. O objetivo é promover um verdadeiro contexto de colaboração, que ainda se trata de um desafio para as instituições financeiras.

Na medida que o mundo se torna mais volátil, a mudança deverá ser precisa e alcançar o centro da estratégia desejada. Assim, pode se traduzir de fato em um novo modelo operacional.

As mudanças devem começar com os bancos para reafirmarem o papel deles no sistema financeiro global. Com isso, as instituições deverão aumentar a confiança e eficiência entre si em seus processos para a tecnologia aplicada faça a união entre eles dentro de um ecossistema.

O sucesso dos bancos nessa transformação dentro da indústria 4.0 vai depender apenas de como a estratégia de tecnologia e operações serão capazes de operar em conjunto os processos, os sistemas, as plataformas, as ferramentas e a infraestrutura. O gerenciamento de dados e a inteligência artificial estão na base dessa abordagem integrada.

Riscos de uma nova era

Novos riscos relacionados à aplicação de algoritmos e inteligência artificial desafiam as instituições a repensarem seus aspectos éticos e de conformidade até então claramente estabelecidos. Em uma economia baseada em dados, a privacidade e a segurança estão no foco das novas regulamentações, como a Lei Geral de Proteção de Dados. (LGPD).

Com isso, a próxima geração de gerenciamento de riscos cibernéticos deverá considerar uma abordagem que fortaleza os controles na infraestrutura usada para dar base à tecnologia.

Serviços digitais

Essa revolução no setor financeiro trará mais possibilidades aos clientes. Entre elas, estão plataformas de autoatendimento, reuniões virtuais com o gerente e horário estendido para serviços remotos. Os benefícios já são avaliados pelas principais instituições do segmento.

Dessa forma, os bancos mais tradicionais têm imaginado e planejado seus novos canais de olho nesse novo público. Os espaços mais virtuais são para dar oferta de novos e disruptivos serviços digitais ao público em geral.

Tecnologia e inovação 0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *