É bem provável que você já saiba o que são KPIs financeiros, não é mesmo? Afinal, os gerentes de finanças das companhias costumam acompanhar diversos deles, para monitorar o desempenho das suas atividades.

Nosso objetivo, com este artigo, é ir mais além e mostrar exemplos de métricas que não são tão comuns de serem acompanhadas, mas que podem fazer toda a diferença no seu negócio.

Por isso, se você deseja saber mais sobre KPIs financeiros, confira este post. Boa leitura!

O que são KPIs financeiros?

KPIs financeiros são métricas utilizadas como referência

Os indicadores financeiros são métricas que você pode usar como referência para acompanhar o desempenho das finanças no seu negócio.

Eles também são chamados de KPIs (Key Performance Indicators, ou Indicadores-Chave de Desempenho em português) e fazem parte da gestão de performance de toda empresa preocupada com seus resultados.

Quando o assunto é dinheiro, especialmente, é preciso ter dados confiáveis para analisar se o seu negócio está tendo o desempenho esperado.

Essa é a função dos indicadores financeiros, que funcionam como bússolas para guiar o empreendedor pelo caminho mais lucrativo e promissor.

Alguns exemplos básicos de indicadores são o próprio faturamento, margem de lucro e ticket médio, que mostram diferentes pontos de vista e parâmetros econômicos.

Para ser um KPI financeiro, é preciso que ele seja específico, mensurável, atingível, relevante e temporal.

Qual a importância em observar indicadores de performance para o setor financeiro?

Como vimos, o KPI financeiro é um indicador de desempenho cujas métricas estão ligadas às finanças empresariais.

Por isso, sua funcionalidade está diretamente relacionada à análise dos resultados que a organização vem obtendo para a tomada de decisões que vão promover o melhoramento de pontos cujo desempenho não está satisfatório e o aprimoramento para a intensificação dos resultados que já estão sendo favoráveis.

Sendo assim, a análise de KPI financeiro é essencial para o controle financeiro de um negócio.

O KPI financeiro é tanto uma ferramenta de análise quanto de previsões, quando empregado com a frequência necessária.

A análise é importante para saber como os negócios realmente estão indo, quais são os resultados reais de cada ação adotada.

Muitas vezes, um gestor tem impressões distorcidas sobre o sucesso de um negócio. Muito dinheiro em caixa, por exemplo, nem sempre indica uma alta lucratividade.

E é a análise de KPIs financeiros a responsável pelo fornecimento de informações concretas e sem distorções a respeito das finanças.

Por outro lado, as previsões também podem ser obtidas a partir do bom aproveitamento de um KPI financeiro.

Com base em resultados passados e tendências, é possível calcular por quais situações, favoráveis ou desfavoráveis, a empresa irá passar nos próximos meses.

A partir desse cálculo, deve-se elaborar um plano de ação eficiente para potencializar resultados positivos e evitar possíveis crises.

Por falar em crise, o KPI financeiro também é um importante aliado quando o negócio está passando por uma.

Ao medir os gastos, a produtividade e os lucros, os indicadores possibilitam a detecção da origem dos problemas e o vislumbre de possíveis soluções.

Em resumo, cada KPI financeiro ajuda os gestores na obtenção e promoção constante de maior assertividade em todas as etapas e processos empresariais.

Por isso, se você objetiva a saúde e o sucesso do seu negócio, não pode abrir mão da análise de KPI financeiro.

6 KPIs financeiros que você deve acompanhar

1. Quick ratio

O Quick Ratio, conhecido por alguns como teste ácido, é uma taxa que indica se uma empresa tem ativos de curto prazo suficientes para cobrir os seus passivos no futuro.

Trata-se de um indicador que fornece uma visão geral mais precisa da saúde financeira, uma vez que ignora os ativos líquidos, como o estoque, por exemplo.

A fórmula do quick ratio é a seguinte:

Quick ratio = (total de dinheiro + contas a receber + investimentos de curto prazo) / passivo circulante

2. Índice de dívida no patrimônio líquido

O índice de dívida em relação ao patrimônio líquido mede como a sua empresa está financiando o seu crescimento e com que eficácia você está usando os investimentos dos acionistas.

Um alto índice de dívidas sobre o patrimônio mostra que a empresa cresce, mas em contraponto alimenta o acúmulo de dívidas.

É preciso manter os índices de dívidas bastante baixos, evitando contratar empréstimos para pagar outras dívidas, por exemplo.

3. Taxa de erro de pagamento

Quando falamos em KPIs financeiros que poucas empresas observam, não podemos deixar de fora a taxa de erro de pagamento, que traz consequências graves para as companhias, caso o monitoramento não seja feito de forma adequada.

A taxa de erro de pagamento exibe a porcentagem de contas recebidas ou cobranças enviadas, que não foram concluídas devido a erros de processamento.

Na maioria dos casos, as falhas acontecem pela falta de aprovação, documentação deficitária ou falta de referências sobre o assunto.

Se a taxa de erro de pagamento de uma empresa aumentar com o tempo, isso indica que já é hora de ela revisar o seu sistema utilizado para as finanças.

4. Variância dos orçamentos

As suas projeções orçamentárias são realistas? É isso que o KPI de variância dos orçamentos avalia.

Ele compara todos os projetos orçados com os totais de orçamentos operacionais reais.

Esse índice faz com que as empresas possam prever com mais eficiência as suas necessidades orçamentárias, analisando e calculando as diferenças entre as suas projeções e os dados reais.

5. Dias de vendas pendentes

A métrica de dias de vendas pendentes mostra a quantidade de dias que são necessários para que os clientes paguem por um produto ou serviço que adquiram.

Se uma compra é feita parcelada em vários meses, por exemplo, a empresa só poderá contar com tal valor, depois que o cliente arcar com o pagamento de todas as parcelas.

Quando menor o índice de dias de vendas pendentes para uma empresa menor.

É por isso que as vendas à vista devem ser sempre incentivadas, por meio de descontos ou distribuição de brindes, uma vez que você garante que o cliente pagará por aquilo que comprou.

6. Custo total da função financeira

O custo total da função financeira mostra a relação entre o custo total das atividades de uma empresa e a sua receita.

Eles incluem despesas de pessoal, de gerenciamento de sistemas, bem como outras despesas gerais.

Um estudo realizado pelo instituto APQC apontou que as empresas com melhor desempenho tem um custo total da função financeira de 0,6%.

Já as organizações inferiores têm o custo médio de até 2%, um índice muito maior.

As empresas que desejam melhorar, nesse sentido, precisam adotar tecnologia e softwares de gestão para automatizar e otimizar os seus processos de negócios.

Esses são alguns dos KPIs financeiros que todo gerente precisa saber. Coloque-os em prática que a sua empresa tenha mais resultados positivos.

Continue aprendendo! Leia agora o nosso post que mostra como economizar usando um software de gestão financeira.

Recomendados para você

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.