Com certeza você já ouviu falar do famoso crédito rotativo dos cartões de crédito, principalmente porque nas últimas semanas ele foi muito falado por todos os portais de notícias e telejornais, pois as regras para a liberação desse tipo de crédito mudaram. Mas caso você ainda tenha alguma dúvida sobre o que é, vamos te ajudar: sabe quando na fatura vem o valor total a pagar e ao lado aparece a informação de pagamento mínimo? Então, esse valor menor da fatura significa que o emissor do cartão – muitas vezes o próprio banco –, está te emprestando o resto do dinheiro para completar o valor total da fatura. E isso não vem de graça! E é aí que entra o crédito rotativo.

rotativos-do-cartão
De acordo com o Banco Central, em dezembro de 2016, a taxa para o crédito rotativo chegou a impressionantes 484,6% ao ano, o maior valor da história. O uso deste tipo de crédito é tão disseminado, pois não há necessidade de aprovação do gerente do banco e está sempre disponível para quando você precisar. O propósito da mudança visa justamente conter essa alta de juros e o endividamento por parcelar a conta do cartão em alguns casos até 24 meses. A medida foi decretada no dia 26 de janeiro de 2017 para começar a valer a partir do dia 03 de abril do mesmo ano.

Mas o que muda na prática para os usuários de cartões? A mudança mais significativa é que o crédito rotativo só poderá ser usado por 30 dias, ou seja, até o vencimento da próxima fatura. Caso não ocorra o pagamento do valor total, o restante obrigatoriamente deverá ser parcelado ou quitado. A expectativa do BACEN é que a medida torne o uso do cartão de crédito mais inteligente e barato, pois a partir de agora deverão existir condições de financiamento mais competitivas.

A Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito, também se manifestou a favor à medida. “A ABECS reitera o seu entendimento de que a fixação do prazo de permanência do cliente no crédito rotativo para o máximo de 30 dias (entre uma fatura e outra), aliada à disponibilização automática de alternativas de financiamento por meio do cartão, como o parcelamento da fatura, permitirá maior controle do consumidor e menor comprometimento da sua renda mensal”.

Isso impactará diretamente no orçamento de quem tem o costume de ter sempre essa opção fácil, rápida e sem burocracia. A partir de agora será necessário mais planejamento financeiro e saber usar o cartão de crédito com mais sabedoria.

Recomendados para você

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.