Seu celular está a salvo dos malwares?

Há alguns anos, acreditava-se que os  smartphones estavam livres da ameaça dos malwares (malicious+software) , softwares que já são velhos conhecidos de quem usa a internet pelo computador e que têm a capacidade de se alojar sorrateiramente em dispositivos eletrônicos com a função de danificá-los ou efetuar ações ilícitas, como roubo de informações e dados. Havia uma sensação de que os celulares eram mais seguros e pouco se ouvia falar sobre ataques direcionados a eles. Porém, a tecnologia evoluiu – e não apenas suas características positivas. Atualmente, os problemas de segurança estão mais presentes do que nunca nas plataformas mobile e, por isso, é interessante saber quais são as principais formas de proteção.

Segundo relatório publicado pela Nokia, que acompanha semestralmente a evolução do cenário de ameaças a dispositivos móveis, em 2016 bateu-se o recorde em infecções por malware. De acordo com os dados divulgados, 1,35% de todos os equipamentos estavam infectados em outubro do ano passado, maior índice identificado desde o início do acompanhamento, em 2012.

O principal alvo dos ataques foram os smartphones, que representaram 85% do montante total. Com relação ao sistema operacional, o Android foi o grande campeão com 81% do total, seguido pelo Windows, com 15%. Outros sistemas, inclusive o iOS da Apple, apesar de menos vulneráveis não são 100% seguros: 4% das infecções afetaram este tipo de equipamento.

O cenário é preocupante, afinal os danos causados aos usuários podem, literalmente, custar caro.

Mas, não é preciso ficar paranoico e deixar de usar as facilidades que os smartphones oferecem com medo de ser uma vítima do cibercrime. Basta estar alerta e buscar se proteger. Uma das maneiras mais eficazes de manter seu aparelho seguro é a utilização de aplicativos desenvolvidos por empresas confiáveis, que se preocupam com a questão da segurança e demonstram estar sempre se movimentando para oferecer soluções de proteção ao usuário. Segundo Thomas Ranzi, especialista em Segurança da Informação do Grupo Nexxera, “existem muitos aplicativos hoje que são gratuitos, que trazem algo interessante para a população, mas que, na verdade, estão ali para servir de espiões. Então, é bastante importante que as pessoas tenham essa preocupação na hora de instalá-los. E também tomar cuidado com pop-ups que dizem que você tem que atualizar o sistema operacional, para ter certeza de que ele é legítimo”.

Confira outras dicas que podem ajudar você a ficar fora destas estatísticas:

  • Mantenha seu sistema operacional sempre atualizado com a última versão disponível;
  • Tenha um software específico para proteger seus dispositivos;
  • Não baixe aplicativos fora das lojas oficiais como Google Play e App Store;
  • Desconfie de promoções recebidas por SMS ou pelo WhatsApp que oferecem brindes ou vale-presentes. Antes de clicar em links deste tipo, faça uma pesquisa e verifique a veracidade da informação;
  • Banners com o aviso “seu celular está infectado” ou “sua bateria está danificada” podem, na verdade, ser iscas para a instalação de um malware. Duvide sempre e prefira usar o seu próprio antivírus para o rastreamento de ameaças.

Leia mais:

–      A adoção do mobile money na América Latina

–      Plataformas mobile: um investimento necessário

Tecnologia e inovação , , , , 0 Comments

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of
avatar

wpDiscuz