Transações via smartphone e tendências para pagamentos móveis em 2014

mobile_pay_nexxera O ano de 2013 será lembrado como um “marco zero” no segmento de pagamentos mobile. Novas tecnologias, aplicativos e serviços apontam para um futuro – ou seria um presente? – cada vez mais voltado a utilização de dispositivos móveis como meios para fazer transações e negócios. Aqui no blog já mostramos por que o celular será o banco do futuro (LINK) e aproveitamos que 2014 está começando para antecipar novas tendências para pagamentos móveis e transações via smartphone: Mais e melhores aparelhos Da atual base de aproximadamente 250 milhões de aparelhos celular, apenas 17% (ou 42,5 milhões) dos que estão em operação são smartphones. Em pouco mais de três anos, este percentual deve chegar a 37% do total de aparelhos do país. Com as novas gerações de smartphones, o aumento da concorrência e a redução no preço dos aparelhos, o que hoje ainda pode ser considerado um luxo será cada vez mais comum nos próximos anos. Banda larga mais acessível Outra importante tendência para pagamentos mobile para os próximos anos é o crescimento da banda larga no país. Puxado pela necessidade de qualificar o serviço para atender o fluxo de pessoas que virão ao Brasil para a Copa de 2014 e as Olimpíadas de 2016, o número de conexões fixas e móveis pode, em 2017, ultrapassar 43 milhões – um crescimento de 54% frente ao volume atual de 28,3 milhões de conexões. Os dados estão no relatório Barômetro, da Cisco Systems. Gestão financeira ao alcance do celular O avanço dos smartphones também impulsiona uma cadeia de desenvolvedores de softwares e aplicativos que dão mais funcionalidade a estes aparelhos, permitindo também aos usuários fazer a gestão financeira via celular. Além das tradicionais planilhas de entradas e saídas, alguns aplicativos contam com lembretes para pagamento de contas, HD virtual para armazenar boletos e extratos bancários, reduzindo sensivelmente a utilização de papel. Algumas concessionárias de serviços públicos no país (telefonia, energia elétrica etc.) também estão investindo para levar seus boletos diretamente ao celular dos consumidores. Um exemplo de solução é o software de gestão financeira que conta com uma versão mobile, viabilizando o acesso aos dados em qualquer lugar. Mobile na prestação de serviços Se você já precisou de algum serviço emergencial (um chaveiro ou um encanador, por exemplo) que custou além do que imaginava, provavelmente ficou torcendo para chegar o dia em que estes profissionais chegariam em casa com uma máquina de cartão de crédito ou débito para cobrar o serviço. A mobilidade nos pagamentos é algo útil e necessário. Uma das principais tendências para pagamentos mobile que o mercado conheceu em 2013 – e que será cada vez popular neste e nos próximos anos – é o dispositivo que, acoplado a um celular, permite a leitura de cartões sem o uso da tradicional maquininha. Há, também, aplicativos que dispensam até o uso físico do cartão: basta instalar o programa no smartphone e usá-lo como uma máquina processadora de pagamentos (os dados não ficam no aparelho, para segurança do usuário). Além disso, com a tecnologia token (OTP), é possível pagar contas com leitura de código de barras via débito em conta ou cartão de crédito, tanto na web como em smartphones. Pagamentos mobile, mesmo sem smartphone As tecnologias de pagamentos móveis se estendem inclusive para dispositivos mais simples, sem grandes recursos tecnológicos. Com ajuda do sistema USSD (sigla inglesa para Unstructured Supplementary Service Data), esse tipo de celular pode realizar transações de qualquer tipo. A tecnologia USSD pode facilitar, por exemplo, o pagamento de faturas. Já imaginou pagar sua conta de telefone somente com o celular? No Brasil, algumas utilities já estão seguindo este caminho que está disponível a todas que desejarem.  

Meios Eletrônicos de Pagamento 0 Comments

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of
avatar

wpDiscuz