Três dicas para não se perder na hora de declarar o imposto de renda

Em 2016, foram entregues à receita federal mais de 27 milhões de declarações do Imposto de Renda, representando um crescimento de 0,23% em relação ao ano anterior.  Para este ano, a previsão da Receita Federal é receber 28,3 milhões declarações de 02/03 a 28/04, e para facilitar a sua vida criamos as três dicas básicas para quem vai declarar seu imposto esse ano.

1 | Quem deve declarar

É muito comum ficar na dúvida se os rendimentos recebidos no ano anterior fazem de você declarante ou não, por isso fique atento!

É obrigado a declarar seus rendimentos quem recebeu mais R$ 28.559,70 tributáveis em 2016 ou mais de R$ 40 mil não tributáveis tributados na fonte no ano. Quem teve lucros com venda de bens, comprou ou vendeu ações ou, ainda, recebeu mais de R$ 142.798,50 em atividade rural, quem era dono de bens no valor superior a R$ 300 mil no ano passado, quem não morava no Brasil e passou a morar e ficou até o último dia de 2016 ou vendeu uma casa e comprou outra num prazo de 180 dias, usando isenção de IR no momento da venda, é obrigatório a declaração.

Quem mora no exterior também deve entregar a sua declaração à Receita Federal, é obrigatório o preenchimento da Comunicação de Saída Definitiva do País e da Declaração de Saída Definitiva do País.

2 | O que declarar

Muitas vezes é comum esquecer de declarar algo, por puro desconhecimento ou ainda, declarar no campo errado. Por exemplo, Resgate de FGTS e herança devem entrar no campo de “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis” e a fonte de renda dos dependentes também é necessário declarar. Abaixo, separamos a lista dos principais itens a se declarar:

  • Bens, como imóveis e carros;
  • Rendimentos com aluguéis;
  • Reformas e despesas com construções;
  • Dependentes, seus rendimentos e respectivos CPFs para maiores de 12 anos;
  • Previdência privada PGBL;
  • Rendimentos de ações judiciais;
  • Fonte alternativa de renda;
  • Dívidas superiores a R$ 5.000,00.

3 | Multa por não declarar

Caso você se encaixe em algum dos itens citados no item anterior e não declara, se prepare! Pois a Receita poderá cobrar multa por atraso dessas pessoas. Caso haja imposto devido, a multa aplicada será de 1% ao mês ou fração de atraso em cima do valor. O valor mínimo de R$ 165,74 e máximo de 20% do imposto devido.

Agora que você já sabe se deve ou não declarar, que tal se organizar para não perder a data final? Ainda dá tempo de entregar a declaração do ano!

Finanças Pessoais 0 Comments

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of
avatar

wpDiscuz